Os últimos meses do ano, além de ser intenso pelo final do ano letivo e as festas de fim de ano, também é uma data muito importante para os alunos formandos que buscam uma vaga nas universidades. Pensando nisso, nossa escola selecionou algumas histórias de jovens que ousaram pensar diferente, que seguiram o chamado do coração e que estão mudando o mundo! Conhecer histórias de jovens que estão fazendo o que amam e realmente fazendo a diferença, é uma ótima forma de achar inspiração para fazerem o mesmo. Conheçam baixo a história deles:

Fisayo Longe (28) nasceu na Inglaterra e passou a sua infância na Nigéria, tendo retornado à Inglaterra para finalizar o Ensino Médio e ingressar na faculdade de Direito. Depois de ter obtido notas muito baixas, decidiu parar os estudos e fazer um estágio em uma empresa de consultoria. Finalizado o estágio, embarcou para uma viagem à Ásia, onde teve a inspiração para iniciar o próprio negócio: decidiu que precisaria se dedicar à sua paixão por moda, que ela já expressava em seu blog de sucesso sobre moda e viagens. Criou, então, a Kai Collective, uma marca de roupas que trabalha com uma diferente padronagem de tecidos e com a valorização de diferentes corpos femininos. A coleção Gaia, lançada em 2020, foi um enorme sucesso, tendo alcançado forte repercussão na mídia.

Além de ser uma figura de linguagem, a sinestesia é uma condição neurológica que faz com que um estímulo em um sentido do corpo provoque reações em outro. Isso gera uma soma entre os sentidos, misturando visão, audição, olfato, paladar e tato. Uma pessoa que tem esse tipo de condição neurológica pode ouvir cores ou sentir sons, por exemplo, e isso acontece por meio da percepção e não da imaginação ou da memória. Esse é o caso de Jack Coulter, que, aos 26 anos, já é um aclamado pintor abstrato. Para desenvolver suas obras, ele escuta os mais diversos tipos de música, que ganham formas abstratas em suas mãos. Coulter nunca usa objetos convencionais da pintura, como pincéis, para dar forma à sua audição colorida. Mas vale ressaltar que o fato de ele ser um sinesteta não lhe garante a criação artística. Isso é resultado de seu trabalho e do uso que ele faz de sua condição neurológica. Aos 21 anos, sua tela intitulada “21” foi adquirida pelo Arts Council Collection of Northem Ireland, a mais vista coleção de arte moderna e contemporânea do Reino Unido. Recentemente, desenvolveu um trabalho interessante para marcas como Calvin Klein e Chanel, em que transcreveu seus perfumes para linguagens visuais.

Aos 21 anos, a modelo inglesa Charli Howard foi rejeitada por uma agência de modelos londrina por ter sido considerada “gordinha”, quando era apenas uma pessoa de corpo considerado “normal” para os padrões cotidianos. Ela escreveu, então, um longo desabafo no FB, que viralizou. Como resultado, foi entrevistada em uma importante rede de televisão inglesa. Charli foi, então, contratada por uma agência americana. Começava ali não apenas uma carreira de modelo de sucesso, mas uma vida de ativista em relação aos padrões estéticos. Howard escreveu 3 livros; o último deles é uma história para crianças cuja intenção é ajudar as meninas a entenderem que elas podem ter um corpo diferente. Recentemente, fundou uma marca de produtos para cuidados da pele, que tem como uma de suas metas criar produtos para peles verdadeiras. É uma marca inclusiva, que batalha pela aceitação de diferentes tipos de corpos e de pele.

Em março de 2020, durante o lockdown na Inglaterra, o atacante Marcus Rashford (23), do Manchester, uniu-se a um grupo que entregava comida às crianças que ficaram sem a merenda escolar na cidade de seu time. Sua iniciativa rendeu à ONG FareShare mais de 20 milhões de libras esterlinas, que alimentaram cerca de 400.000 crianças por toda a Inglaterra. Em junho de 2020, Rashford escreveu uma carta aberta ao governo inglês em que pediu mais ação para acabar com a pobreza que afetava as crianças. Como resultado disso, o governo alterou sua política pública com relação à alimentação das crianças, que, nos quase três meses das férias escolares daquele verão, puderam se alimentar nas escolas. A atitude de Rashford acabou por atingir, naquele momento, cerca de 1,3 milhões de crianças que estariam desassistidas nos momentos mais densos da pandemia. Rashford é considerado um sucessor do melhor estilo de nosso Ronaldo e usou sua velocidade e boa pontaria para fazer um golaço fora dos campos e alimentar tantas crianças.

Jesaja Brinkmann (29) é o cofundador e CEO da Cara Care, uma empresa, localizada em Berlim, que trabalha com aplicativos para o cuidado com a saúde. A empresa desenvolveu um aplicativo que traz uma terapia digital para pessoas com problemas de estômago. Jesaja estudou filosofia e medicina na University of Würzburg e Hamburg e, posteriormente, desenvolveu uma pesquisa sobre o diagnóstico de câncer do pulmão na Harvard Medical School. O aplicativo desenvolvido por sua empresa tem mais de 700 mil usuários e já faturou 11 milhões de dólares desde 2016. A estrutura do aplicativo leva à transformação dos hábitos do usuário, pois identifica os hábitos de alimentação e propõe mudanças cotidianas. A Cara Care oferece, assim, uma útil união entre tecnologia, medicina e educação, que tem impactado positivamente a vida de seus usuários.

Outubro, é tido também como o mês das crianças, realizamos diversas atividades no colégio neste mês, e não podíamos deixar de retratar tudo o que aconteceu, mas com a visão de cada professor. Confira os relatos e rememore a criança que existe dentro de cada um.

Jardim I e Jardim II:

O mês de Outubro das crianças foi repleto de atividades diferenciadas e momentos especiais.
Realizamos a junção das salas para uma interação, fazendo com que as crianças se divertissem ao máximo possível dentro do protocolo de distanciamento. No piquenique tivemos um momento de comer o lanche de uma forma diferenciada e depois dançamos muito ao som de músicas infantis. Em outro momento realizamos gincanas e brincadeiras envolvendo bexigas e bolas. Realizamos também confecção de brinquedos feito por eles, onde puderam expressar sua criatividade.

Pré-escola:

No mês das crianças, as turmas da Educação Infantil realizaram atividades em conjunto para uma maior interação entre as crianças e o ambiente escolar.

Trabalhamos com o “Lúdico” através de jogos, brincadeiras, piquenique (decoramos o ambiente de acordo com tema “alimentação saudável) e momentos da contação de histórias com fantoches. Com a “Expressão corporal” trabalhamos através de gincanas de obstáculos entre as turmas (com entregas de medalhas no final da atividade), desfile de fantasias e a nossa baladinha com músicas que as crianças adoram. Com a “Expressão artísticas” foi trabalhado através de oficinas de brinquedos, com materiais recicláveis (estimulando a conscientização) e show de talentos.

Busquei trabalhar principalmente com o brincar e a interação entre as turmas, respeitando totalmente os protocolos de distanciamento, porque uma criança brincando é uma criança feliz. E eles adoraram todas as atividades, podemos identificar a expressão de alegria no rostinho de casa criança.

1° ano:

O mês de outubro teve um gostinho das coisas voltando acontecer no âmbito escolar de uma forma divertida e alegre. Mesmo ainda com restrição, seguindo todas as orientações de distanciamento as crianças puderam partilhar e interagir na semana das crianças. Tivemos atividades lúdicas como o dia do colorido, do rosa e do cosplay. Eles amaram!!

Realizaram oficinas onde construíram seus brinquedos “a lanterna mágica” ciência com diversão. Ficaram encantados ao ver seus desenhos refletidos na parede – sombras. Cada dia era uma surpresa para eles. Com o pop-it gigante realizaram vários desafios. Foi lindo ver alegria deles se divertindo e pedindo bis!!

Outubro também foi de conscientização do cuidado de si e do outro. Por meio de vídeos, roda de conversa e atividades lúdicas abordamos o tema outubro rosa. Aprenderam a importância do toque de amor e dentro do contexto do cuidado/saúde puderam compartilhar essas questões tão importantes com seus familiares demonstrando conhecimento, carinho e protagonismo.

E não posso esquecer o dia dos professores. Que foi comemorado com muito amor e gratidão.

2° ano A e B

O mês de outubro é um dos mais esperado pelas crianças e a turminha do 2 ° ano estava contado os dias para a chegada da nossa “Semana das crianças!

Nas aulas de ética o tema foi “Brinquedos e brincadeiras, de ontem e hoje”, assistimos vídeos, vimos imagens e em roda de conversa as crianças falaram sobre gostos, sonhos e suas vivências.

Dentro deste contexto o uniforme deu lugar ao dia do colorido, do Rosa e claro, o dia da Fantasia. A cada dia realizamos atividades onde todos se divertiram, criaram e sonharam.
No dia do colorido o objetivo foi resgatar brincadeiras antigas e a turminha brincou e dançou até cansar…
Confeccionamos um cartão onde registraram seu carinho e incentivo, com o objetivo de conscientizar sobre a importância da prevenção e do cuidado de si, neste dia os alunos abraçaram a campanha e além de vestirem uma peça Rosa, pintarem cabelo com spray e finalizamos o período confeccionando um fantoche, utilizando material reciclável e os alunos esbanjaram sua criatividade.

Para terminar a semana as professoras fizeram a abertura de nosso “Sarau – Histórias e Espetáculos”, e os alunos se divertiram assistindo a história “Faniquito e siricutico no mosquito”, dando continuidade ao Sarau, os alunos apresentaram de forma encantadora temas diversos, mostrando suas habilidades.

Finalizamos o mês das Crianças com a confecção de máscaras que marcaram a história do teatro, nossos artistas com certeza seriam estrelas na Grécia antiga, pois divertimos ouvindo, entre risos, meninos e meninas bradarem: – Eu sou Dionísio!

3º ano:

O mês de outubro foi repleto de atividades desafiadoras com o objetivo de propiciar aos alunos entretenimento, diversão e aprendizagem.

Na semana das crianças realizamos atividades lúdicas variadas com a turma dos 3º A e B.

Dentro do contexto foi promovida atividades extraclasse provocando o interesse por brincadeiras e brinquedos trazendo a temática do brincar fazendo uma reflexão e associação a tecnologia de antes e depois salientando que também se aprende brincando.

No decorrer da semana construímos instrumentos musicais com material reciclado, tendo como objetivo trabalhar semelhanças e as diferenças entre sons com muita criatividade.

Assistiram vídeos educativos e interativos sobre brincadeiras e brinquedos de comunidades tradicionais que mostrou as diferentes formas de brincar. Esses vídeos proporcionaram aos alunos conhecimento e muita vontade de brincar de escorregar no papelão, empinar pipa e de até andar de carrinho de caixote.

A curiosidade da turma foi finalizada com vários registros gráficos de brinquedos de antes e depois e encerramos a semana com uma peça teatral realizada pelas professoras.

4° ano:

O mês de outubro não é para comemorar em somente um dia, “o dia das crianças” e sim um mês de muita alegria, diversão e conscientização. As crianças contam os dias, pois aguardam um momento especial.

Com isso as professoras prepararam com muito carinho algumas atividades para serem desenvolvidas ao longo mês.

Combinamos com os alunos para usarem roupas diferentes no dia do colorido, onde puderam usar de sua criatividade e alegria. Os alunos do 4º ano trouxeram spray para os cabelos, separamos momentos para dança, zumba e etc.

Como o mês de outubro também é um mês de conscientização, realizamos rodas de conversas, assistimos vídeos e confeccionamos os laços do “Outubro Rosa”. Com o objetivo de ressaltar a importância do autocuidado, durante a aula alongamos o corpo e relembramos que é importante exercitar o corpo, ter uma alimentação saudável.

O dia mais esperado com certeza foi o dia do cospley/ fantasias…Nesse dia também houve as apresentações dos alunos em História e Espetáculos/Sarau onde os alunos recitaram os cordéis com a história da sua autobiografia. E para encerrar esse dia tão especial os alunos se divertiram assistindo a história “Faniquito e siricutico no mosquito” dramatizada pelas professoras.

Assistimos durante o mês duas lives da EMME , a primeira: “Menino tom” (autista) e confeccionamos um pássaro de dobraduras mensageiro de palavras positivas e também “A Cozinha do tio Vi” com muitas receitas de guloseimas com o tema do Halloween.

Encerramos as atividades desse maravilhoso mês com o estudo e confecções de máscaras. Realizamos uma roda de conversa sobre a histórias das máscaras e depois os alunos confeccionaram com autonomia e material reciclável sua linda máscara.

 

Foram momentos agradáveis e divertido, mesmo seguindo os protocolos de segurança nos divertimos muito e as criança do online puderam acompanhar normalmente.

5° ano:

Enfim outubro chegou, mês de lembrar e celebrar!!!

Nós do 5º A e B arrumamos um jeitinho divertido para explorarmos a imaginação, criatividade foi bem divertido.

Realizamos muitas brincadeiras dentre elas:

O dia do Colorido, desafios de acerte ao alvo;

Dia do Rosa, várias atividades remetendo ao Outubro Rosa, com objetivo de lembrar a importância do cuidar, e principalmente do auto cuidar, confecção de bandanas e (dança das cadeiras(5ºA))

E o tão esperado dia do Cosplay/ fantasias, fizeram algumas apresentações de receitas, mágicas, canto, piadas entre outros, desafio acerte qual é o filme ou série /Pop It siga os comandos e (os alunos do 5ºB se divertiram assistindo a história “Faniquito e siricutico no mosquito” dramatizada pelas professoras).

Também não poderia deixar de citar as lives de Histórias e Espetáculos que estimulam nossos educandos a dramatizar, criar, imaginar, sonhar, etc… Neste mês fomos privilegiados com duas lives 1° assistimos a do “Menino tom” (autista) e confeccionamos um pássaro de dobraduras mensageiro de palavras positivas e a 2° assistimos “A Cozinha do tio Vi” (receitas de guloseimas Halloween). Estas receitas as crianças produziram em casa.

Porém aproveitamos para um bom bate papo, conversar sobre as peças teatrais fazendo a observação que uns usam máscaras que eram instrumentos essenciais no figurino dos atores, sendo muito utilizadas no teatro grego… Dessa forma, as máscaras, antes utilizadas como artefatos ritualísticos, sentimentos, podiam representar personagens de ambos os sexos”.

Portanto não podíamos deixar de confeccionar uma máscara com objetivo de representar o teatro.

Foi um mês muito produtivo com o objetivo de muita descontração, todos os dias nos desafiou a ser cada dia melhores, presencialmente ou virtualmente é um grande aprendizado.

Obs: Para a semana dos desafios a professora Divina preparou um bóton de papel foto (adesivo) com o logotipo escrito “Eu participei da semana divertida do C M A.

Nesse dia 25 de setembro, aconteceu a nossa 18ª Feira Cultural, com o tema Diverti-ON. E não tem ninguém melhor para nos contar como que foi a feira, do que os professores responsáveis pelas salas.
Pensando nisso, pedimos um relato pessoal de cada professor sobre como foi toda a experiência.
Confira aqui:

Educação Infantil e 1º ano – Animação:
Mais um evento cheio de criatividade, dedicação e muito amor das professoras, alunos e familiares. As crianças ficaram encantadas e empolgadas com o tema ANIMAÇÃO. Foram desenvolvidas várias atividades sobre o tema durante as aulas, aguçando o interesse e curiosidade das crianças. E no dia 25.09 os alunos apresentaram os seus trabalhos e a cada apresentação aplausos e elogios eram dedicados. Apresentações Dignas de Oscar!!!
Momentos de entretenimento com os familiares que simplesmente amaram.

2º ano – Musicais:
Iniciamos o mês de setembro lendo, assistindo e trocando ideias sobre este estilo que marcou os teatro e cinemas, “Musicais” foi tema que ficou sob a responsabilidade da galerinha dos 2° anos A e B apresentar tudo o que aprenderam e descobriram sobre este grande entretenimento. Essa galera emocionou e encantou ao nos ensinar o que descobriram sobre a “História dos Musicais”, nosso sábado foi marcado com alegria, conhecimento e muita Arte! Nossa gratidão aos familiares que não mediram e criatividade para que nossos pequenos, grandes artistas fizessem um grande espetáculo.

A feira cultural que ocorreu no último sábado dia 25/09/2021 além do sucesso alcançado em todas as salas e em todas as apresentações, também nos mostrou que não há limites quando queremos realizar algo, foi a primeira vez que participei de uma feira cultural de forma remota e não pude deixar de perceber todo o carinho e cuidado que todos os alunos tiveram ao enviar seus vídeos apresentando seus assuntos, alguns fizeram ali mesmo na hora, e foi tão maravilhoso ver o desenvolvimento e o interesse deles em interagir, articular, estudar o assunto, criar seus painéis e apresentar para o público que o aplaudiu com muita felicidade.

É emocionante fazer parte da história dos alunos, é o que nos move para continuar tentando, tentando e tentando fazer cada vez melhor e quando podemos ver de alguma forma uma parcela do resultado das nossas ações refletidas em trabalhos como esses é simplesmente compensador, meus parabéns a todos os alunos, professores e ao colégio em geral. Fomos um sucesso, somos um sucesso e estamos formando vencedores, que venham as próximas.

3º ano – Comédia:
Ao apresentar o tema “comédia” para as crianças pensei de como desenvolver esse contexto tão rico e complexo, tendo como objetivo proporcionar aos alunos a possibilidade de interesse em aprender e de participar dentro de um contexto cultural de forma dinâmica, criativa e que por meio de atividades lúdicas pudessem se divertir.
Mas os alunos são surpreendentes e com o olhar mágico que eles possuem simplificaram de uma forma dinâmica, com essência e com riqueza a apresentação.
Cada um com sua característica e individualidade nos emocionaram com as apresentações que tornou esse dia especial tanto para os alunos como para os pais.

4º ano – Documentários:
Ao receber o tema da feira, fomos em busca de conhecimento para distribuir o trabalho. Achamos o tema desafiador e procuramos adaptá-lo da melhor maneira possível. No dia da feira , as crianças apresentaram com maestria seus trabalhos mesmo com algumas dificuldades, todos se empenharam demonstrando sua dedicação, autonomia , seriedade e comprometimento.

5º ano – Ficção Científica:
Num contexto de pandemia, nós aquecemos nossos corações, em ver mesmo em meio as dificuldades em elaborar um evento tão importante remotamente. Compreendemos que ainda não é momento estarmos juntos neste tipo de evento presencialmente,  mas nos predispomos em fazer o melhor, espalhando boa vontade, beleza, empenho, colaboração,  acreditando que tudo daria certo com muito sucesso. Juntos superamos as barreiras da distância e tivemos lindas apresentações, mostrando que mais uma vez somos capazes de ir além. Foi um momento de grandes aprendizados, trocas de experiências. Aos pouquinhos estamos voltando a vida “normal” sonhando com um futuro que aos poucos já estamos palpando com as aulas presenciais. Agradeço imensamente o privilégio de fazer parte deste projeto que a tantos anos segue nos surpreendendo, superando, e se adaptando, parabéns a toda equipe envolvida e principalmente aos alunos que sem os sonhos, empenho não seria possível a realização. #gratidão.

6º ano – Anime:
Por ser um tema que faz parte da vivência dos alunos do 6° ano, tornou-se uma experiência satisfatória de realização principalmente por eles pois, puderam explorar as diversas facetas que o assunto abrange e proporcionando domínio na confecção de cada objeto escolhidos por eles e também a melhor maneira de compartilhar o assunto com aqueles que participaram deste momento.

7º ano – Fantasia:
Fantasia…
Como definimos fantasia nessa 18ª Feira Cultural?
Segundo o dicionário, poderíamos definir fantasia como o que não tem existência real, mas apenas ideal.
Como assim? Como dizer que não tem existência real quando presenciamos heróis e heroínas, vivenciamos cenários fantásticos e nos transportaram para uma realidade paralela.
Nos vimos em meio a teias e não era somente do Homem Aranha. Eram teias de saberes.
Vimos coisas preciosas e não eram anéis. Eram olhinhos brilhantes em pensamentos e ideias saltitantes. Coisas mágicas que não saíram de varinhas, mas que nos fizeram ficar boquiabertos com tanta criatividade, empenho e imaginação.
Se procurássemos no mesmo dicionário, a definição que cabe no momento é que fantasia pode ser uma pequena obra de arte em que o autor se deixar levar pela imaginação caprichosa. Já que é assim que não nos falte imaginação e nem capricho.

“Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”. (Tio Bem Parker – Filme Homem Aranha)

8º ano – Ação:
Bom dia, com relação ao relato da Feira Cultural, eu tive algumas dificuldades com relação ao desenvolvimento do trabalho com relação ao tema, no sentido de escolhas de títulos seja livros, filmes, games etc… Pois o gênero ação é um gênero que pode ser híbrido, pode estar relacionado a qualquer outro, foi bem difícil encontrar títulos que fossem apenas ação, eu também encontrei dificuldades no trabalho com a turma, de primeiro momento houve um grande entusiasmo por parte dos educandos, houveram muitas ideias porém ao saberem que o evento seria realizado de maneira online, houve uma desmotivação que dificilmente foi superada, conversei com eles por algumas vezes de maneira honesta, pois eu estava vendo a feira acontecer em todo canto escolar menos na minha sala, não por falta de conversa e organização mas por falta de entusiasmo, mesmo que eu entrasse com energia e gás parece que nada os contagiava. O fato de estar sozinha com uma turma também foi um fator considerável, na organização de ideias principalmente no dia da apresentação, pois eu precisava estar o tempo todo com eles para avaliação e acompanhamento das apresentações. De modo geral eu estive muito apreensiva ao longo dos dias pré evento, pois eles foram uma caixinha de surpresas eu só recebi um retorno deles dois dias antes da feira, com as ideias deles, até mesmo o tirar dúvidas e pedir sugestões eu tive um retorno maior dentro desses dois dias que antecederam o evento; mas ainda assim com tudo isso eu obtive bons resultados, trabalhos e soluções diferentes para apresentações, muitos se dedicaram ao máximo na produção e processo criativo de cenário e figurino.

9º ano – Drama:
A 18º Feira Cultural do CMA foi uma busca pela consciência histórica do cinema. Passeamos por diversos estilos usados na cinematografia e conseguimos mostrar aos telespectadores a importância e o nascimento de cada estilo. O 9º ano apresentou o “Drama” que nasceu ainda na antiguidade com os poemas de Homero. Os alunos contaram a história da saga da ilíada e odisseia, passamos pelo Inferno de Dante Aligjieri, contado no livro a “Divina Comédia”, passaram por filmes e jogos contemporâneo que contam o Drama na atualidade. No contexto geral a feira serviu para aprimorar e aumentar o conhecimento dos pais e familiares que assistiram nossas apresentações.

1º ano do Ensino Médio – Romance:
A 18º Feira Cultural do CMA foi uma busca pela consciência histórica do cinema. Passeamos por diversos estilos usados na cinematografia e conseguimos mostrar aos telespectadores a importância e o nascimento de cada estilo. O 9º ano apresentou o “Drama” que nasceu ainda na antiguidade com os poemas de Homero. Os alunos contaram a história da saga da ilíada e odisseia, passamos pelo Inferno de Dante Aligjieri, contado no livro a “Divina Comédia”, passaram por filmes e jogos contemporâneo que contam o Drama na atualidade. No contexto geral a feira serviu para aprimorar e aumentar o conhecimento dos pais e familiares que assistiram nossas apresentações.

2º ano do Ensino Médio – Suspense:
A Feira Cultural do CMA de 2021 foi uma troca de experiência efetivada por alunos e professores, que possibilitou um aprendizado significativo dos temas apresentados.
Com apresentações diversificadas, os alunos buscaram passar o conhecimento adquirido e encantar o público, mesmo que virtualmente, proporcionando um momento de vivência entre as famílias e o Colégio.
Diante do êxito do evento, quero parabenizar todo o corpo docente e discente pelo excelente trabalho realizado.

3º ano do Ensino Médio – Terror:
A feira cultural com o terceiro ano do ensino médio foi emocionante, todos estavam comprometidos. Durante as apresentações os alunos estavam empenhados e foi um momento descontraído e com muitas risadas.

Setembro Amarelo – Precisamos falar sobre isso!

Mike Emme foi o americano que deu origem ao movimento Setembro Amarelo. Mike era conhecido por sua personalidade carinhosa e habilidade manual: ele havia restaurado e pintado de amarelo um Mustang 68, que virou sua marca pessoal. Porém, em 1994, quando Mike tinha 17 anos, ele cometeu suicídio. Infelizmente, nem a família, nem os amigos perceberam que havia algo que não estava bem. Em seu funeral, os amigos montaram uma cesta de cartões e fitas amarelas com a mensagem: “Se precisar, peça ajuda”.
Esse gestou ganhou repercussão na imprensa, e diversos jovens passaram a utilizar cartões amarelos para pedir ajuda a pessoas próximas. A fita amarela foi, então, escolhida como símbolo da campanha que incentiva aqueles que têm pensamentos suicidas a buscarem ajuda. Em 2003, a Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu o dia 10 de setembro para ser o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio.
Na cor amarela dessa campanha, vemos o amarelo do Mustang de Mike, que nos lembra que aquele que pensa em suicídio não quer morrer: quer mudar uma situação que considera imutável. As pessoas certas podem ajudar! 💛

Pensando nisso, durante todo o mês de setembro, viemos trabalhando com os alunos a importância desse tema.
Por isso, foram realizadas diversas atividades que trabalham esse tema.

Segue abaixo o que cada turma realizou:

Jardim II: Foi realizado juntos com os alunos um desenho deles no papel Kraft, onde eles desenharam sobre as partes do corpo humano. Fechamos a atividade com uma roda de conversa sobre o cuidado com o nosso corpo, aonde não podemos deixar as pessoas tocarem.

1º: Trabalharam as cores das emoções. Em uma roda de conversa falaram dos seus sentimentos. Além disso, assistiram o vídeo “Acredite em você”. E por fim, realizaram uma atividade de arte onde escreveram palavras positivas.

2º: Iniciaram o Projeto Setembro Amarelo, falando sobre as emoções. Então, realizaram uma roda de conversa e juntos criaram uma tabela de cores para a emoções e cada criança pintou em uma folha as emoções que sentiram neste momento de isolamento e retorno as aulas. Após as crianças foram convidadas a falar sobre a emoção mais forte que sentiu, e dizer o porquê isso ocorreu. Depois, em aula para falar sobre a Tristeza assistiram o curta: “Fragmentos”. E após, em roda de conversa, as crianças foram convidadas a pensarem em o que podemos fazer para ajudar “o outro”. Eles escreveram frases motivacionais em lâmpadas, simbolizando a luz que podemos doar.

3º: Após assistirem vídeos que retratam como lidar com nossas emoções realizamos por meio de desenhos representar nossas emoções criando monstrinhos sobre nossos medos, angústias, tristezas, o amor e a coragem. Para encerrar a atividade, eles criaram os dois monstrinho; do AMOR e da CORAGEM.

4º: Os alunos confeccionaram uma árvore com recorte e colagens de bons sentimentos. A atividade foi integrada com a matéria de Arte. Durante as aulas, eles conversaram bastante sobre a importância de semear bons sentimentos, e aprender lidar com as nossas emoções e pensamentos negativos.

5º: Os alunos criaram bonecos Ribambelles, escreveram palavras carinhosas com intuito de passar para as pessoas que nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos. A atividade foi integrada com a matéria de Arte.

Além dessas atividade, o colégio promoveu palestras para discutir as emoções com os pais, intituladas: Palestras Setembro Amarelo.

Também, foram criados alguns conteúdos nas redes para discutir esses assuntos, como esse post: Como cuidar da saúde mental o ano todo.

E por fim, incentivamos a criação de uma campanha para o Setembro Amarelo, que foi postado nas redes sociais, e para conhecer a campanha, clique aqui: Torneio CMA Edição Setembro Amarelo.

Primeiramente, gostaríamos de parabenizar todos os alunos que participaram desse torneio! Continuem a desenvolver criações incríveis e a exercitar a sua criatividade, pois temos certeza que chegarão muito longe.

Nessa edição do Torneio CMA, os alunos tiveram que criar um vídeo para a Campanha do Setembro Amarelo, de prevenção ao suicídio. A aluna vencedora dessa categoria foi a Maria Luiza do 8º ano.

Confiram o vídeo que ela criou:
Campanha – Setembro Amarelo

É preciso agir!

A campanha solidária Educação na linha de frente da fome continua. Para ajudar na divulgação, os alunos tiveram o desafio de criar um manifesto.
Parabéns a todos pelo empenho na criação dessa atividade. Porém, uma aluna criou o manifesto que se tornou nosso. A aluna vencedora do Torneio CMA edição “Manifesto contra fome” foi a Grazielle do 2º Ensino Médio.

Confiram o texto que ela escreveu:

“Você já sentiu fome? Já foi para algum lugar com seus pais e ficou esperando por horas a fio enquanto eles resolviam alguma coisa? Sabe aquele momento em que a fome aperta, quando seu estômago se contorce?

A sensação é horrível, certo? Agora imagine passar por isso diariamente, onde não apenas parece que você não come há dias, mas a realidade é que você não se alimentou. Imagine perder o sono no meio da madrugada, porque seu estômago não para de roncar e implorar por alimento. Consegue imaginar se passando por isso? Acredito que a resposta seja um não fervoroso, mas essa é exatamente a situação de muitas famílias e moradores de rua do Brasil. Por isso, deixo aqui meu apelo.

Fomos agraciados com a oportunidade de ter um alimento na mesa, e ainda de poder fazer pequenos “lanches” entre as refeições, logo, além de agradecer todos os dias por essa dádiva, devemos compartilhar a alegria que é comer com aqueles que não podem ter esse prazer. Tenho certeza de que aquele pão dormido que iria parar no seu lixo deixaria alguém necessitado extremamente feliz.

Sendo assim, comovidos pela atual situação da nossa população, estamos realizando a campanha: A educação na linha de frente contra a fome. Junte se a nós, faça a diferença em nosso bairro, pois alguém que tem mais poder aquisitivo, um pacote de arroz, feijão, óleo, enfim, itens da cesta básica não é quase nada, por isso convido vocês a doarem a maior quantidade de alimentos que possam! Para participar, basta fazer a entrega na porta do Colégio Mundo Atual. Não bastar refletir, temos que AGIR!”

Incrível né?

Confira o nosso vídeo da campanha para entender o que estamos fazendo: Vídeo da campanha

Os efeitos da pandemia são devastadores. Além das centenas de milhares de vidas que foram e (infelizmente) ainda serão levadas, milhões de vidas têm sofrido cotidianamente com a falta de alimentação. São incontáveis pais e mães que não conseguem alimentar seus filhos. Podemos imaginar o desespero deles ao verem suas crianças chorando de fome em um lar com panelas e pratos vazios e um coração cheio de medo e de angústia. Nós temos a possibilidade de ajudar. Assim, nossa escola está desenvolvendo uma campanha de doação de alimentos para diminuirmos a fome dessas famílias. Sabemos muito bem que a educação sempre alimenta o melhor de cada um de nós e que um de seus principais nutrientes é a consciência. E essa consciência nos mostra que é hora de ajudarmos a alimentar quem está passando fome.
Participe. Doe.

De 27/05 à 16/06.
Endereço: Rua Professor Francisco Pinheiro, 300.

Primeiramente, gostaríamos de parabenizar todos os alunos que participaram desse torneio! Continuem a mergulhar no universo dos livros e da escrita, pois temos certeza que chegarão muito longe.

Na categoria 8º e 9º do Torneio CMA edição livros, os alunos tiveram que reescrever o final do livro O Pequeno Príncipe. A aluna vencedora dessa categoria foi a Selma H. do 9º ano B.

Confiram o texto que ela escreveu:

“O Pequeno Príncipe tinha princípios e sua preocupação era ter cuidado com o sentimento das pessoas. O piloto se tornou seu amigo quando o salvou da picada da cobra, preparando um remédio que o curou.
A partir daí, os dois puderam visitar todos os planetas e vivendo na Terra e descobriram todas as maravilhas do planeta.
A amizade dos dois fez com que todos que estavam ao seu redor percebessem, que devemos olhar além das aparências e se identificar com o que as pessoas têm de bom a oferecer.
Existem muitos príncipes no mundo, é só percebê-los.
Cobras também existem muitas, mas cabe a nós nos afastarmos delas.”

Primeiramente, gostaríamos de parabenizar todos os alunos que participaram desse torneio! Continuem a mergulhar no universo dos livros e da escrita, pois temos certeza que chegarão muito longe.

Na categoria Ensino Médio do Torneio CMA edição livros, os alunos tiveram que escrever uma análise crítica do livro Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna. A aluna vencedora dessa categoria foi Karina C. do 3º ano do Ensino Médio.

Confiram o texto que ela escreveu:

“Uma obra de Ariano Suassuna, que se tornou filme e cativou o Brasil, com uma história do sertão do brasileiro, explicitando toda a seca, fome e a dificuldade da população.
As personagens principais, João Grilo e Chicó, tentam sobreviver com todas as dificuldades, João Grilo sendo esperto e enganando a todos, assim conseguindo dinheiro para viver, Chicó com suas histórias que ele não sabe como foi, mas sabe que foi assim, sua covardia e medo que traz um teor humorístico a obra.
Uma dupla de personagens que se completam, creio que toda a graça está no jeito em que os dois lidam com as adversidades da vida difícil que levam.
Está escancarada a difícil vida das personagens e toda a corrupção dos padres, que dão prioridade para os detentores das fazendas e terras.
A obra critica a posição da igreja perante a sociedade, que por muitas vezes é injustiçada por não ter poder aquisitivo.
Vimos que a esperteza de João Grilo sempre supera a arrogância e a agressividade dos personagens como o cangaceiro, o Major Antônio, o Padeiro, o Vicentão e o Cabo Setenta.
É válido citar a que foi utilizada na obra de Suassuna, uma linguagem regional, assim seguindo a risca o local onde se passa a história.
Uma história regada de humor e por sua vez, muito bem projetada, pois depois de todos os pecados que as personagens cometem, temos o julgamento, parte importante para a reflexão do leitor e do telespectador, apesar da mulher do padeiro lhe trair, o padeiro ser um péssimo patrão, o padre e o bispo serem corruptos, João Grilo incitar o roubo e assassinato, mentir e enganar, Suassuna traz a reflexão que todos são humanos e que comem erros, pois assim lhe foi concedido o perdão. Humanizando as personagens e comovendo os telespectadores.
Uma obra com riqueza de detalhes do sertão brasileiro que vale a pena conferir.”

Primeiramente, gostaríamos de parabenizar todos os alunos que participaram desse torneio! Continuem a mergulhar no universo dos livros e da escrita, pois temos certeza que chegarão muito longe.

Na categoria 6º e 7º do Torneio CMA edição livros, os alunos tiveram que reescrever o final do livro Chapeuzinho Vermelho. O aluno vencedor dessa categoria foi o Davi C. do 6º ano B.

Confiram o texto que ele escreveu:

“Certo dia uma garota estava em casa quando sua mãe lhe disse:
– Filha venha aqui na frente de casa!
– Você pode levar esses biscoitos a casa da sua avó, por favor? Então sua filha disse:
– Sim eu posso mãe.
A menina foi pelo bosque na estrada de terra. Ouvira boatos de seus amigos que havia um lobo com forma de homem na floresta. E acreditava que era uma tremenda baboseira. Isso é história para as crianças não irem ao bosque sozinhas.
Porém meio do caminho ao longe viu uma sombra de um homem ao se aproximar percebeu que era peludo então resolveu pegar um atalho, mas com isso desviou-se um pouco do caminho. O que ela não sabia é que o atalho era para a madeireira então falou:
– Acho que não vi direito a placa por causa da neblina espessa então voltou pensativa. O lobo já deve ter ido embora. Mas, no caminho ouviu gritos e então apertou os passos ao chegar bateu na porta, bateu, bateu, bateu…
E nada! Então entrou sem pedir e pegou o lobo com forma de humano devorando sua avó, ao perceber que a menina ali estava correu atrás dela pela mata.
Sem perceber chegou a madeireira e que os funcionários tinham ido embora assim ela abriu uma sala dos funcionários e viu uma arma, pois na região haviam animais perigosos. Não pensou duas vezes pegou o rifle e o carregou quando viu a sombra da besta deu um tiro gritando:
– Vá tentar comer os três porquinhos! Mas quando se aproximou viu que não era um lobo mau e sim um mutante canibal. Voltou correndo para casa. Essa história aconteceu no Brasil na Floresta Amazônica, não era totalmente explorada por isso, apenas a chamavam de bosque.
E é por isto que queimam as florestas pois pensam que podem haver mais alguns daqueles mutantes famintos.”

Ficha de matrícula


    SimNão



    SimNão

    SimNão

    IndicaçãoRedes SociaisOutro meio

    Vínculo com a família

    Acreditamos firmemente que a união entre o Colégio e a família é essencial para que o aluno tenha um desenvolvimento educacional completo e tranquilo. Um dos benefícios entre a proximidade Família e Escola, é poder, juntos, alinhar as expectativas em cima do ensino e da evolução das habilidades socioemocionais, que tornarão os alunos em membros críticos e ativos da comunidade, afinal o objetivo comum dessa relação é oferecer ao aluno, boas condições de crescimento e aprendizagem.

    Dedicamo-nos sempre para ter um convívio próximo com os pais, de forma que estejam sempre cientes dos passos de seus filhos no colégio. É através de contatos on-line e pessoais, sejam eles pré-agendados ou no dia a dia normal da escola, que todas as áreas do colégio buscam fortificar esse vínculo e sempre e colocar-se à disposição das famílias. Para que o contato seja constante e efetivo, assim, independente do formato, no colégio, buscamos sempre envolver as famílias na nossa cultura de ensino humana.

    Projetos e eventos

    Durante todo o ano letivo realizamos diversos eventos e projetos pedagógicos que contam com muito envolvimento da família e da comunidade. Esses projetos e eventos são fundamentais para o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias para os alunos, de maneira mais eficiente do que no dia a dia da escola, e por isso se tornam um pilar importante da nossa proposta educacional.

    Eventos como Feira Cultural e Festa Regional oferecem um momento único para reunir no colégio, todas as pessoas responsáveis por dar vida ao processo educacional dos alunos, e são tão impactantes na vida dos estudantes, que comumente contam com a presença de diversos aluminis. O jeito Mundo Atual de fazer educação preza pela dedicação e amor em todos os momentos, fazendo com que os eventos realizados sejam uma ótima oportunidade para mostrar para toda a comunidade escolar, o quanto que os nossos alunos são capazes de expressar seus conhecimentos e habilidades.

    Além, projetos pedagógicos realizados durante as aulas e no dia a dia do colégio, também se mostram importantes, pois diversificam o modelo das aulas e o clima no colégio e com os seus diversos formatos, desafiam os alunos a realizarem atividades e solucionar problemas. Projetos como Webdesafio e Páscoa Solidária são exemplos de como momentos desafiantes unem a comunidade escolar e trabalham tanto o pedagógico, quanto a solidariedade com os alunos.

    Ensino humano

    Uma das características mais marcantes da sociedade moderna tem sido o rompimento dos padrões e sua capacidade de produzir e se adequar às mudanças sociais. Acredita-se que educar não é apenas instruir, mas oferecer uma experiência significativa que prepare o aluno para a vida. Considerando esses pontos, o pilar de Ensino Humano, busca justamente enxergar o aluno como um ser humano único, com uma tratativa repleta de cuidado e afeto.

    Essa atuação é concretizada com a nossa cultura escolar, que sempre incentiva o envolvimento de todas as partes da nossa comunidade, tendo por consequência a sensação de lar no nosso ambiente físico. O ensino de habilidades socioemocionais e socioambientais complementam essa cultura.

    Em todas as frentes do colégio, do pessoal de atendimento à direção, da inspeção de alunos à coordenação, e todos as outras áreas, fazemos o possível para auxiliar no ensino dos alunos, de forma que a preocupação não é só a educação formal, mas inclusive a cívica, ética e socioambiental. Entendemos que estamos moldando cidadãos que ajudarão a melhorar o mundo, e todos fazem parte desse processo.

    Base legal

    Assim como descrito no valor de Integridade do Colégio, trabalhamos de maneira íntegra no cumprimento das leis, por isso que uma base legal forte é um dos pilares da nossa proposta educacional. Juntamente com a culta escolar humana, baseamo-nos na ideia justiça e equidade para trabalhar e para ensinar os nossos alunos, para que assim se tornem cidadãos éticos. Todos os processos realizados no Colégio são norteados pelas leis e normas determinados pelos órgãos responsáveis.

    Uma dessas normas que influencia toda a proposta educacional é a BNCC (Base Nacional Comum Curricular), que determina quais são os conteúdos que serão passados aos alunos em cada um dos anos de sua carreira escolar. Além, essa regulamentação tem um perfeito casamento com a nossa metodologia, abordagem e sistema de ensino que buscam sempre aperfeiçoar habilidades e competências fundamentais dos alunos.

    Componentes curriculares

    Os componentes curriculares seriam como os ingredientes chave dessa receita de sucesso. Evidente que junto deles, todos os outros pilares seriam partes importantes, porém, os componentes são conteúdos indispensáveis determinados pelo governo para a educação básica. Observe como dividimos nos seguimentos os componentes curriculares:

    • Educação infantil
    • Educação fundamental (anos iniciais)
    • Educação fundamental (anos finais)
    • Ensino médio

    Metodologias ativas

    A Metodologia Ativa de Aprendizagem é uma concepção educacional que coloca os estudantes como principais agentes de seu aprendizado. Os benefícios dessa metodologia consistem em desenvolver a autonomia, confiança, protagonismo, colaboração, senso crítico, empatia e responsabilidade do aluno. Por isso, ela se torna um pilar essencial na nossa proposta educacional.
    Essa metodologia é composta por 5 elementos, e todos são utilizados de forma que complementa a própria avaliação de desempenho ao final de cada trimestre, pois abordam áreas importantes no desenvolvimento educacional. Confia abaixo os 5 elementos:

    • Aprendizagem baseada em projetos: desafia os alunos a adquirir conhecimento por meio da solução colaborativa de projetos.
    • Aprendizagem baseada em problemas: proporciona o aluno a desenvolver capacidade de construir aprendizado conceitual, procedimental e atitudinal por meio de problemas propostos que o expõe às situações motivadoras e o prepara para o mundo.
    • Sala de aula invertida: o estudante tem acesso a conteúdo de forma antecipada, fazendo com que tenha um conhecimento prévio sobre o conteúdo a ser estudado.
    • Aprendizagem entre pares ou times: proporciona a oportunidade, seja em um estudo de caso ou em um projeto, que os alunos resolvam os desafios e trabalhem juntos, o que acreditamos ser benéfico na busca pelo conhecimento, e no mercado de trabalho.

    Tecnologia

    A tecnologia se torna um pilar importante na nossa proposta educacional, ao passo que ela faz parte do dia a dia de nossos alunos. Uma das nossas abordagens de ensino é o incentivo do seu uso de maneira consciente e responsável. Os nossos professores instigam os alunos a aprender a buscar informações confiáveis e de qualidade na rede, além de utilizar na explicação de conteúdos e na avaliação dos conhecimentos, a plataforma Plurall.

    Além disso, o colégio conta com uma estrutura física tecnológica que auxilia na concretização do modelo de aprendizagem que une o mundo digital com o concreto, como sala de informática, projetores nas salas de aula, netbooks e lousas digitais

    Sistema de ensino Anglo

    O sistema de ensino que escolhemos utilizar no Colégio é o Anglo. Ele associa a experiência e conhecimento dos professores que por ele passaram ao talento e garra dos seus sucessores e daqueles que estão chegando, completamente sintonizado com as novas diretrizes do MEC. O seu lema inicial – “Aqui se ensina, aqui se aprende” – permanece em vigor, e a sua meta é uma só: ensino de qualidade, sendo um ótimo casamento com os nossos objetivos.

    Esse sistema de ensino caracteriza-se pela constante inovação e pioneirismo em mudanças marcantes na história da educação básica do país. Conta com um material didático completo que trabalha todas as habilidades e competências necessárias para que tenham uma carreira escolar invejável. Além, dispõe de uma plataforma de ensino digital, o Plurall, que é repleta de materiais como vídeos, listas de exercício, apostilas digitais, e outros, para complementar os estudos dos alunos.

    O Anglo é percursor na busca por uma educação mais conectada com o dia-a-dia dos alunos, e alcançou renome nacional defendendo os conceitos de contextualização e interdisciplinaridade. E a regra de ‘aula dada, é aula estuda’, muito utilizada pelas escolas do sistema de ensino Anglo, se tornou um dos nossos dizeres no colégio.